INOVAÇÃO SOCIAL E O LEGADO INTANGÍVEL

A cidade do Rio de Janeiro está sendo reinventada, redescoberta e integrada territorialmente na esteira dos  desafios impostos por uma agenda de grandes eventos e pela necessidade de superar a herança de um espaço construído que segrega e a divide socialmente, culturalmente e em termos de oportunidades. O legado que os grandes eventos tem perseguido é a transformação do Rio numa cidade sustentável, humana, resiliente, interativa, educadora, criativa, digital e inteligente. Este caminho integra e traz a marca da  ciência, do conhecimento, da inovação e da tecnologia.

Por esta razão já podemos falar de uma história de construção do legado. Através  da Rio + 20 em 2012, transformamos o Rio numa cidade mais resiliente com o Centro de Controle Operacional (COR-RIO), com a constituição de uma base de dados aberta e em tempo real que tem permitido que a cidade se torne mais ágil em termos de informação.

Com a Jornada Mundial da Juventude avançamos em nossa capacidade logística em termos de mobilidade e hospedagem. Com a Copa da Mundo aprendemos também a ser um pouco mais humildes, mas certos que ganharemos a próxima competição, em 2018.

Mas nestes dois eventos apresentamos o que temos de melhor: nossa carioquice e a forma como convivemos com a diversidade étnica, religiosa, cultural, sexual e das diferentes nacionalidades.

Por esta razão estamos comemorando nossos 450 anos em 2015 valorizando esta identidade cultural e territorial. E com as Olimpíadas consolidaremos uma imensa reforma urbana do porto, um plano de mobilidade envolvendo toda a cidade e um projeto de arquitetura nômade que cria uma marca de sustentabilidade nos jogos olímpicos.

Mas o que tem marcado esta transformação da Cidade é certamente a nossa capacidade de transformar sonhos em realidade, assumindo que vivenciamos hoje uma sociedade do conhecimento no qual temos que integrar novas tecnologias, novos processos e novos arranjos institucionais em diversos campos de gestão.

Este é o caminho construído no Rio de Janeiro com as Naves do Conhecimento,  que nos dá uma dimensão de que  há um legado intangível colocado no campo do conhecimento, incentivando a criatividade e a interatividade nos bairros mais pobres do Rio.

Por entender que a inserção na Sociedade do Conhecimento caracteriza-se pela  emergência de uma forma de organização social mediada por redes tecnológicas intensivas e em fluxos de informação e conhecimento,  a Prefeitura tem construído uma Política Pública de Ciência e Tecnologia que integra as novas plataformas tecnológicas com caminhos de oportunidades a toda a população. Esta ação tem despertado a  paixão pelo conhecimento, abrindo possibilidades de construção de novos perfis tecnológicos   profissionais, trabalhando programas estruturantes na consolidação deste ecossistema de inovação pensado a partir das novas tendências que apostam na transformação urbana a partir do advento de construção coletiva de comunidades inteligentes.

Nossa aposta está neste  legado intangível que promove  o desenvolvimento humano, uma urbanidade que reconheça a cultura, a história, a origem, a vivência, a sensibilidade e a diversidade dos territórios, construindo uma civilidade pública que tanto faz falta a esse país.

Franklin Dias Coelho é secretário de Ciência e Tecnologia da Cidade do Rio de Janeiro

Anúncios

Sobre sectrj

Blog da Secretaria Especial de Ciência e Tecnologia do Município do Rio de Janeiro
Esse post foi publicado em Notícias. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s