MINISTÉRIO E SECRETARIA DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA REUNEM EMPRESAS, INSTITUTOS DE PESQUISA E UNIVERSIDADES PARA COOPERAÇÃO EM PROGRAMAS DE CIDADES INTELIGENTES.

Visita do Ministro de Ciência e Tecnologia 121Transformar o Rio de Janeiro em uma “Cidade Inteligente”, implantar um cluster em nanotecnologia (*) e colocar o Rio como referência internacional de Computação de Alta Performance (HPC) e de Criptografia Quantica, foram os temas debatidos em encontro do ministro de Ciência, Tecnologia e Inovação, Marco Antônio Raupp, com o secretário municipal de Ciência e Tecnologia, Franklin Coelho, e representantes de universidades, centros de pesquisa e empresas de TI.

O encontro ocorreu na sede da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep), no Flamengo (Zona Sul), na noite da última segunda-feira, após visitas do ministro a duas das sete Praças e Naves do Conhecimento espalhadas pela cidade, espaços comunitários de alta tecnologia que a SECT coordena.

A reunião foi aberta pelo ministro, que falou da importância de integrar programas federais com os estados, municípios e empresas. “O conhecimento é gerado de forma aberta nas universidades, de forma planejada e com missões nos institutos, e nas empresas de acordo com os interesses econômicos e a própria reunião já é uma inovação ao integrar todos os segmentos da produção do conhecimento”.

4408982Na Finep, o ministro destacou o lançamento da Iniciativa Brasileira de Nanotecnologia (IBN), que tem como objetivo promover o desenvolvimento científico e tecnológico do setor, e falou do Sistema de laboratórios em Nanotecnologia (SisNano).

– Não podemos pensar em nanotecnologia sem ter o envolvimento de empresas no processo. Hoje, no SisNano, temos 26 laboratórios associados e mais de 100 empresas trabalhando neles”, disse. “Isso mostra o quanto é importante que as universidades, os institutos de pesquisas e as empresas caminhem juntos para o desenvolvimento da pesquisa, desenvolvimento e inovação (PD&I) no país

A adoção de uma política de cooperação entre as empresas privadas, universidades e governos federal, estadual e municipal para a dinamização deste desafio, deixando-o como um legado para o Rio de Janeiro até 2016, foi a proposta incial apresentada pelo secretário de Ciência e Tecnologia, Franklin Coelho. Além do ministro e do secretário, participaram do debate líderes de empresas como GE, Cisco, Intel, IBM e EMC, como também, representantes da Pontifícia Universidade Católica (PUC), da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), do Instituto Nacional de Matemática Pura e Aplicada (Impa), do Centro Brasileiro de Pesquisas Físicas (CBPF), do Inmetro e da Associação das Empresas Brasileiras de Tecnologia da Informação, Software e Internet (Assespro).

Os participantes do encontro destacaram a importância dos trabalhos que vêm sendo desenvolvidos nos centros de inovação da GE e da Cisco, no centro de big data implantado pela EMC e nos programas de formação profissional em Tecnologia da Informação (TI) da Intel. “Temos muito a fazer e a investir em TI e em inovação na indústria do Rio, principalmente no setor de óleo e gás”, observou o ministro. “Um dos projetos que está sendo criado pelo MCTI, a “Embrapii”, poderá ser uma grande aliada no financiamento de pesquisas e na geração de oportunidades para as universidades e empresas cariocas”.

Visita do Ministro de Ciência e Tecnologia 124Segundo Franklin Coelho, uma das prioridades do prefeito Eduardo Paes é fazer do Rio de Janeiro um modelo de cidade inteligente a ser seguido. Para isso, conta com empresas e universidades para a criação de ecossistemas de TI. “Quando falamos em conceito de cidade inteligente, ele não se restringe só a telecomunicações. Falamos em gestão pública eficiente do tráfego, em sistemas de monitoramento, em sensores, entre outros”, ponderou o secretário. “O Rio de Janeiro precisa desta transformação, pois será sede de grandes eventos, que exigem soluções integradas de tecnologia”.

“Tecnologia e Educação”: Durante a tarde, após visitar a Praça do Conhecimento de Padre Miguel, na Zona Oeste, e a Nave do Conhecimento de Madureira, na Zona Norte, inseridas no projeto “Rio Digital 15 Minutos”, o ministro anunciou que sua pasta vai fazer uma parceria com a SECT para integrar os Programas de Ciência e Tecnologia da Cidade do Rio de Janeiro com os do Ministério. O primeiro deles é a integração nas Praças e Naves do Conhecimento do Programa “Brasil Mais TI Educação”, com formação em nível técnico e tecnológico.

O programa consta de uma plataforma web de e-learning que oferece cursos com conteúdo propostos pelas próprias empresas, a semelhança do programa FORSOFT da Secretaria, que deve ser ampliado. O objetivo é despertar o interesse vocacional das pessoas e promover a formação de mão-de-obra adequada para um mercado em expansão e carente de especialistas. Outros programas, como os “Ecosistemas Digitais”, “Polos Globais de Inovação” e o recém-criado “Instituto de Nanotecnologia”, deverão se integrar aos Programas da SECT.

Segundo o secretário de Política de Informática do Ministério, Rafael Moreira, que acompanhou o Ministro nas visitas, o “Brasil Mais TI Educação”, em 11 meses de existência no país, já capacitou 2.104 pessoas, a maioria já empregada. Após as visitas, Raupp afirmou não existir projeto similar no país. “Fiquei muito bem impressionado e feliz. Vamos desenvolver uma ação conjunta e, para já, vamos trazer para cá os cursos de TI que tem o conteúdo desenvolvido pelas próprias empresas parceiras. É garantia de empregabilidade”, disse, anunciando para o próximo mês de novembro o início das primeiras turmas.

Para o secretário Franklin Coelho “é extremamente importante o ´Rio Digital 15 Minutos´ ter reconhecimento do ministro. O Rio de Janeiro saiu na frente no conceito de uma cidade inteligente, com ações como o Centro de Operações Rio e as Naves do Conhecimento, ações estas já consideradas pelo Ministro como um ativo que se constitui como legado de uma cidade olímpica.”. A visita de Raupp foi agendada quando da ida do secretário à Brasília, no mês passado, mostrando ao ministro projetos locais de criação de uma ambiência de inovação e de construção de um legado de cidades inteligentes para o município.

Desempregado e com os estudos interrompidos na 5ª série do Ensino Fundamental, Luiz Fernando de Paula, de 24 anos, foi abordado pelo ministro quando acessava um dos computadores da Biblioteca Digital. “Fiz o curso de Alfabetização Digital e venho aqui, diariamente, estudar. Quero voltar ao banco da escola e recuperar o tempo perdido. A Praça do Conhecimento se tornou me segunda casa.”.

(*) A nanotecnologia é o estudo de manipulação da matéria numa escala atômica e molecular e está associada a diversas áreas, como a medicina, eletrônica, ciência da computação, física, química, biologia e engenharia dos materiais O princípio básico da nanotecnologia é a construção de estruturas e novos materiais a partir dos átomos (os tijolos básicos da natureza). É uma área promissora e que vem mostrando resultados surpreendentes na produção de semicondutores, biomateriais e chips, entre outros.

Anúncios

Sobre sectrj

Blog da Secretaria Especial de Ciência e Tecnologia do Município do Rio de Janeiro
Esse post foi publicado em Notícias. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s